Desfile de 25 de Abril de 2017

 

Inquérito sobre Oferta de Alojamento totalmente Inclusivo

Graça Almeida, aluna da Pós-Graduação de Turismos e Gestão Hoteleira do ISCET (Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo) no Porto, a frequentar a disciplina de Business Plan, onde é solicitado a elaboração de um projeto individual, com a aplicação de um inquérito.

O projeto visa a construção de um alojamento totalmente inclusivo na zona balnear de Vila Nova de Gaia. Neste sentido venho pedir a vossa colaboração para participarem no preenchimento do inquérito e a vossa intervenção para o fazer chegar aos verdadeiros interessados - aos membros das instituições onde trabalham e aos seus familiares.

Com a necessidade de criar algo diferenciador, considero que a construção de um projeto de alojamento totalmente inclusivo permitirá desfrutar do lazer e do desporto nas mesmas condições que a restante população, como ainda tornar mais robusta a menção da cidade do Porto, como melhor destino para visitar na Europa e o segundo a nível mundial em 2019, alargando a oferta ao turismo inclusivo, ainda pouco potenciado no nosso país.

O inquérito foi construído através do Google Forms, segue em formato digital, através do link: 

https://forms.gle/TKqj5tZw4cs5NE449

Os dados recolhidos serão tratados de forma confidencial e anónima, não sendo disponibilizados para qualquer outro fim.

Esta investigação é fundamental para a elaboração de um projeto melhor direcionado para quem dele possa desfrutar.

Para cumprimento dos prazos do projeto, solicito que o inquérito seja respondido até 31/Maio/2020.

Agradeço desde já a vossa colaboração na disseminação desta ferramenta para melhor conhecer a percepção das pessoas com incapacidades, bem como dos seus familiares e/ou cuidadores sobre este tema. 

Grata pela vossa atenção,
Graça Almeida

 

 

 

 

RGPD - Regulamento Geral de Proteção de Dados

 

De acordo com o Regulamento Geral de Proteção de Dados, os dados recebidos através das páginas web, serão processados informaticamente e a sua utilização destina-se exclusivamente para uso interno para responder às questões e formalizar diligências junto das entidades responsáveis. O utilizador deve ter conhecimento de que os dados inscritos irão circular numa rede aberta até ao seu registo na Base de Dados, podendo ser intercetados por terceiros. Aos utilizadores é garantido o acesso aos dados para eventual correção ou eliminação. 

A Associação Portuguesa de Deficientes não fornecerá os dados pessoais a entidades terceiras, e só em situações de necessidade de identificação para resolução das suas questões, haverá uma comunicação prévia solicitando a sua autorização para fornecer os seus dados a entidades terceiras, nomeadamente Câmaras, Hospitais, e Instituições Públicas, pelo que, a sua utilização pressupõe o conhecimento e aceitação destas condições.

 

Poderá consultar mais informações sobre o Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016 e a sua aplicação em https://www.cnpd.pt/bin/rgpd/rgpd.htm 

 

Saiba mais sobre a nossa política de privacidade aqui.