Desfile de 25 de Abril de 2017

 

 

Um grupo de estudantes do 1º ano de Mestrado em Turismo da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE), solicita a colaboração neste trabalho de investigação - Inovação e Empreendorismo em Turismo.

Esta investigação tem como intuito a criação de uma aplicação para smartphone dirigida a todos, designada como "All.In", cujo objetivo é facilitar a ligação entre a oferta de turismo acessível e inclusivo, em Portugal, e a procura por este setor.

Entende-se por Turismo Acessível e Inclusivo a oferta turística mais requalificada, que pretende responder às necessidades específicas do consumidor, de acordo com as suas incapacidades ou limitações, que podem ser permanentes ou temporárias. Considera-se o “Destino Acessível/ Destino para Todos” aquele que dispõe de equipamentos, infraestruturas, informação adicional, serviços e competências para um atender mais especializado e sem barreiras.

Para responder à nossa investigação, a coordenadora do nosso projeto sugeriu que o melhor meio de adquirir esta informação seria através do preenchimento de um inquérito, no qual constam questões que permitem conhecer melhor o público alvo desta aplicação, pelo que a opinião dos seus associados será uma mais-valia para o desenvolvimento da mesma.

Link para acesso ao inquérito : https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeQJZyyG-1NjZJKs3lOqxG8i49Tm944Nom7kGYWWziHXoqynQ/viewform?usp=sf_link

Bruna Castelôa, estudante do 1º ano de Mestrado em Turismo: Inovação em Turismo Ativo e de Experiências

 

 

 

 

 

 

RGPD - Regulamento Geral de Proteção de Dados

 

De acordo com o Regulamento Geral de Proteção de Dados, os dados recebidos através das páginas web, serão processados informaticamente e a sua utilização destina-se exclusivamente para uso interno para responder às questões e formalizar diligências junto das entidades responsáveis. O utilizador deve ter conhecimento de que os dados inscritos irão circular numa rede aberta até ao seu registo na Base de Dados, podendo ser intercetados por terceiros. Aos utilizadores é garantido o acesso aos dados para eventual correção ou eliminação. 

A Associação Portuguesa de Deficientes não fornecerá os dados pessoais a entidades terceiras, e só em situações de necessidade de identificação para resolução das suas questões, haverá uma comunicação prévia solicitando a sua autorização para fornecer os seus dados a entidades terceiras, nomeadamente Câmaras, Hospitais, e Instituições Públicas, pelo que, a sua utilização pressupõe o conhecimento e aceitação destas condições.

 

Poderá consultar mais informações sobre o Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016 e a sua aplicação em https://www.cnpd.pt/bin/rgpd/rgpd.htm 

 

Saiba mais sobre a nossa política de privacidade aqui.