Desfile de 25 de Abril de 2017

 

A Rede Social de Lisboa, através do seu Plano de Desenvolvimento Social (PDS), promove a ação e o debate em várias temáticas e áreas problema identificadas pelo diagnóstico social realizado periodicamente. No âmbito da persecução dos objetivos traçados por este mesmo PDS 2017-2020 (prolongado pelas contingências associadas à pandemia) para o GT Saúde Mental tem-se realizado desde 2019 o Mental Talk, pretendendo realizar-se a 3ª edição no dia 15 de outubro de 2021 sob o tema “Direitos Humanos na Saúde Mental”.

As pessoas com experiência de doença mental enfrentam, todos os dias, discriminação e barreiras que as impedem de participar em condições de igualdade como os/as outros/as cidadãos/ãs.  Comumente são-lhes negados os direitos de serem incluídos no local de trabalho, de viver de forma independente, de ter acesso a recursos comunitários e de poder ter escolha no tratamento médico.

Porque os direitos humanos para as pessoas com experiência de doença mental não são apenas um instrumento, mas sim, uma forma de fortalecer a nossa sociedade contra a exclusão e a segregação, o 3º Mental Talk, tem como objetivo colocar em debate esta temática, de forma a que nenhuma pessoa fique para trás no seu direito de ser cidadão.

Neste sentido solicitamos a divulgação por todas as entidades e cidadãos a quem este tema possa interessar para que possamos abranger o maior número de pessoas possível.

Contamos com a sua participação na 3ª edição do Mental Talk – Lisboa em Rede pela Saúde Mental.

Para mais informações contactar: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.   Telefone 21.817.2462

 

 

 

 

 

 

RGPD - Regulamento Geral de Proteção de Dados

 

De acordo com o Regulamento Geral de Proteção de Dados, os dados recebidos através das páginas web, serão processados informaticamente e a sua utilização destina-se exclusivamente para uso interno para responder às questões e formalizar diligências junto das entidades responsáveis. O utilizador deve ter conhecimento de que os dados inscritos irão circular numa rede aberta até ao seu registo na Base de Dados, podendo ser intercetados por terceiros. Aos utilizadores é garantido o acesso aos dados para eventual correção ou eliminação. 

A Associação Portuguesa de Deficientes não fornecerá os dados pessoais a entidades terceiras, e só em situações de necessidade de identificação para resolução das suas questões, haverá uma comunicação prévia solicitando a sua autorização para fornecer os seus dados a entidades terceiras, nomeadamente Câmaras, Hospitais, e Instituições Públicas, pelo que, a sua utilização pressupõe o conhecimento e aceitação destas condições.

 

Poderá consultar mais informações sobre o Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016 e a sua aplicação em https://www.cnpd.pt/bin/rgpd/rgpd.htm 

 

Saiba mais sobre a nossa política de privacidade aqui.